Grupo Isorecort se destaca na transformação e reciclagem de EPS

postado em: Matérias | 0

Dentre as soluções promovidas pela empresa, o setor da construção civil ganha força dentro desse segmento

 

O EPS (poliestireno expandido), por possuir características como leveza, resistência, isolamento acústico e térmico, ser inodoro, inerte e atóxico, é amplamente utilizado em diversos setores da economia, como a construção civil, embalagens, automotivo, arquitetura e decoração, esportivo, entre outros.

Pensando nisso, o Grupo Isorecort, uma das maiores empresas brasileiras especializadas em transformação do EPS e líder no segmento da construção civil, utiliza o material em diversas aplicações neste segmento e em outros tipos de atividade.

Um dos destaques de seu portfólio são as placas de EPS para isolamento termoacústico (junta de dilatação) que, além de funcionarem como isolantes, contribuem para a eficiência energética da obra, já que reduz os gastos com ar-condicionado e age como retentor de calor.

As telhas “sanduíche”, além de serem um eficiente isolante térmico e acústico, possuem características como: baixa absorção de água, não proliferam fungos e bactérias, além de não propagarem chamas.

Vale ressaltar também as pérolas de EPS, que começam a ganhar espaço na construção civil sendo utilizadas em blocos de concreto leve, uma solução nova e pouco conhecida pelos profissionais da área, principalmente, projetistas responsáveis pela especificação de produtos e soluções.

Além desses produtos, o Grupo Isorecort atua nos segmentos da indústria, refrigeração, agricultura, comércio e também desenvolve projetos especiais. Produtos como blocos para geotecnia, caixas térmicas, forros, lajotas, peças técnicas, calhas para revestimento e bandejas para mudas, também fazem parte do portfólio da empresa.

 

Sustentabilidade – Todo o EPS produzido pela empresa é 100% reciclável e isento de CFC (clorofluorcarbono), que não causa danos à camada de ozônio.

Outro projeto liderado pela empresa é a logística reversa das sobras do produto, onde são recolhidos os resíduos de EPS de seus clientes, pois se trata de substância não biodegradável, ou seja, que não entra em decomposição naturalmente. Todo este material é reprocessado e transformado em novos blocos de EPS.

No Brasil, são reciclados em média 30% do EPS pós-consumo anualmente. Índice que pode crescer ainda mais com o aumento das boas práticas de consumo e descarte correto dos plásticos, da coleta seletiva e da logística reversa desse tipo de material, onde também integra o Comitê do EPS, no Instituto Socioambiental dos Plásticos (Plastivida).

 

O Grupo Isorecort se tornou membro do GBC Brasil em 2017, e suas ações e atividades estão totalmente alinhadas com os propósitos da Organização, sendo parte da força que rege este movimento.

Deixe uma resposta