Construção com responsabilidade ambiental – Eduardo Zaidan

postado em: Matérias | 0

Leitor assíduo das matérias e entrevistas desse espaço, gostaria de acrescentar um aspecto que ainda não vi abordado com a importância que merece.

Eduardo May Zaidan

 

A RFM foi uma das primeiras construtoras a se engajar no esforço da construção com responsabilidade ambiental, mesmo antes da disseminação das certificações, reconhecemos a importância do tema e nos preparamos contratando profissionais com formação e currículo orientados na preservação do meio ambiente.

 

Iniciamos com a implantação do Plano de Destinação de Resíduos em todas as obras antes da obrigatoriedade legal e estudo das regras das certificações LEED, AQUA, BREEAM e PROCEL EDIFICA.

 

Desde então, fomos responsáveis pela construção de vários edifícios certificados, tendo como destaque o Vera Cruz II na categoria Platinum e o FL 4440 na categoria Gold, ambos na região da Nova Faria Lima.

FL 4440
Ed. Vera Cruz II

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em processo de certificação temos os Edifícios corporativos STAN Paulista Corporate e Villagio Santos na categoria Silver.

Villagio Santos
STAN Paulista Corporate

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No Rio de Janeiro construímos o Hotel Grand Mercure Riocentro com certificação Procel Edifica “A” e o fizemos o retrofit integral do Ed. Gloria 122 pré-certificado Silver.

Hotel Grand Mercure Riocentro
Ed. Gloria 122

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No decorrer dessa trajetória, a mudança mais importante na minha opinião foi a de paradigmas nas equipes diretamente envolvidas como engenheiros, mestres, encarregados, almoxarifes e operários, que foram extremamente receptivas às novas atitudes colocadas pelos gestores da qualidade, estendida para suprimentos e orçamentos.

 

O resultado foi a conscientização ambiental incorporada no dia a dia em todos os canteiros da RFM através da implantação de procedimentos e controles específicos, resultando em comprometimento dos colaboradores e contribuindo para a preservação ambiental local.

 

A implantação de processos de logística reversa para os resíduos da obra reduziu o volume dos materiais não recicláveis e alguns projetos como reuso de água para lava rodas, lava botas, lava bicas e lava pinceis/rolos houve a contribuição dos operadores para a implantação do equipamento.

 

Compreenda como funciona a Certificação Internacional LEED

CLIQUE AQUI

 

Ultimamente tem se falado muito em legado e o depoimento da nossa gerente de qualidade ilustra isso:

“Um ponto observado é que a equipe que participou de obras com certificação tem um cuidado diferenciado em novas obras, mesmo quando não há exigência dos requisitos Leed. Na maioria das vezes aplicam os requisitos por hábito e acabam obtendo melhores resultados”. 

 

Esta é a diferença que poucos falam.

 

 

Texto escrito por:

Eduardo May Zaidan, Engenheiro Civil, Vice-presidente do Sinduscon-SP e Diretor de Engenharia da RFM Construtora Ltda, empresa Membro do GBC Brasil.

Deixe uma resposta