Sustentabilidade – Case da Certificação LEED de uma Edificação Pública

postado em: Matérias | 33

Em sinergia com o local de implantação e os conceitos de sustentabilidade e economicidade, a futura nova sede da Delegacia da Receita Federal em Santarém/PA é mais uma das poucas edificações públicas do país a buscarem a Certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design). A avaliação da etapa de projeto (Design Review), pela organização americana Green Business Certification Institute (GBCI), já foi concluída. Resta apenas a etapa da construção do edifício para a sua avaliação final (Construction Review) e assim ser obtido o selo da certificação.

O projeto da nova sede, com cerca de 4.000 m² de área construída, busca a certificação na categoria de “Novas Construções” (NC – New Construction). Apenas nesta etapa de avaliação do projeto já foram alcançados 39 pontos, restando poucos esforços para a etapa da obra a fim de obter a Certificação LEED mínima, chamada Certified, que corresponde a obtenção de 40 pontos.

Para alcançar este desafio, os critérios de sustentabilidade foram inseridos no conceito do projeto desde a sua concepção, a partir de uma equipe multidisciplinar de profissionais projetistas coordenados por especialistas em construções sustentáveis, o que possibilitou o desenvolvimento de um projeto integrado e sustentável desde o início.

 

O PROJETO

Inserido em terreno de 15.000 m², adjacente ao Parque Urbano da cidade, o projeto assumiu como prioridade respeitar o entorno próximo e as características naturais do terreno, a fim de causar o menor impacto ambiental possível e adequá-lo aos condicionantes locais. Assim, a implantação ocorreu de forma concentrada, em local desprovido de árvores, limitando a movimentação de terra em apenas 48% do terreno.

Um aglomerado de árvores na área central se configurou como elemento fundamental na disposição do partido arquitetônico. O edifício principal foi proposto em dois blocos integrados dispostos ao redor dessa vegetação, formando uma praça central com tratamento paisagístico para convivência dos usuários e reverência da vegetação preservada.

O projeto buscou expressão formal e espacial sóbria e imponente, para representar com simplicidade e oferecer fácil reconhecimento da instituição no contexto urbano. Neste sentido, foi proposta uma grande empena cega, voltada para a via principal, onde se integra à fachada desenho abstrato da marca da Receita Federal em alto-relevo, incorporando à arquitetura elemento de identidade da instituição.

O projeto arquitetônico se opôs ao padrão de edificações envidraçadas ao trazer soluções mais adequadas ao clima local. As aberturas foram concebidas sombreadas com dispositivos de proteção solar, sempre planejados por meio de estudos de carta solar. Ademais, a fachada principal conta com um jardim vertical. Este elemento, além de auxiliar na proteção da radiação solar e, por conseguinte, no arrefecimento da temperatura interna, compõe uma representação simbólica da correlação com o Parque da Cidade, demonstrando o respeito ao local de inserção e a preocupação ambiental da instituição.

Sobre a cobertura do bloco de dois pavimentos foi previsto um terraço para fruição ao ar livre, com desenho paisagístico em argila expandida e seixo rolado inspirado em grafismos da cerâmica tapajônica. Além de trazer benefícios energéticos, esta iniciativa visa promover uma importante cultura e expressão da região, homenageando os primeiros povos que a habitavam, os índios Tapajós.

 

TERRENO SUSTENTÁVEL

Bastante atenção foi dada à permeabilidade do solo. Além dos 62% de área verde, foi prevista bacia de detenção para amortização do pico de escoamento das chuvas, com o intuito de minimizar o impacto causado pelo aumento de vazão na rede de drenagem urbana. Complementando esta medida, o terreno conta com pavimentações externas do tipo drenantes para favorecer ainda mais a infiltração de água no solo.

O projeto também dispõe de bicicletários e vagas preferenciais para veículos de baixa emissão.

 

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

Segundo o resultado da simulação energética computacional, o projeto proporciona uma redução do consumo energético de 22% em relação ao baseline estabelecido pela norma ASHRAE 90.1.

Para alcançar este resultado, foram adotadas estratégias como sistema de fachada ventilada com isolamento térmico, brises de proteção solar, jardim vertical, vidros com baixo fator solar e revestimentos de cores claras, com baixa condutividade térmica.

Quanto ao sistema de climatização, foi prevista uma central de água gelada (CAG) de alta performace, com condensação a ar, de 180 TR de capacidade térmica.

O sistema de iluminação dispõe de luminárias com tecnologia LED, dimerizáveis, gerenciadas e operadas através de automação DALI, o que permite um maior controle do sistema e melhor aproveitamento da luz natural. Destaca-se também a aplicação de domos prismáticos nas coberturas para iluminação natural em corredores de circulação, reduzindo ainda mais o consumo de iluminação artificial.

 

QUALIDADE AMBIENTAL INTERNA

Para fornecer aos ocupantes uma boa qualidade ambiental interna, foi explorada uma conexão com o exterior por meio de iluminação natural e vistas, garantidas em 95% dos ambientes de permanência prolongada.

Visando assegurar uma melhor renovação do ar nos ambientes internos, aplicou-se um aumento de 30% nas taxas mínimas de vazão de ar externo recomendadas pela ASHRAE 62.1, atendendo tanto à certificação LEED como aos normativos nacionais.

Todos os sistemas foram projetados para garantir o conforto térmico nos ambientes por meio de análise do índice de conforto proposto por Fanger, o Predicted Mean Vote (PMV), mantido sempre entre -0,5 e 0,5, conforme a ABNT NBR 16.401.

 

USO RACIONAL DA ÁGUA

Uma das estratégias adotadas foi o emprego de equipamentos que apresentam vazões inferiores aos padrões de mercado, como torneiras automáticas de pressão, arejadores e válvulas de descarga de duplo acionamento. Estes equipamentos resultaram em uma previsão de economia de 38% no consumo de água potável.

Uma vez que a região é provida de elevada precipitação, foi projetado sistema de aproveitamento de águas pluviais para uso em bacias sanitárias, mictórios e irrigação de jardins. Este sistema conta com reservatórios capazes de suprir 100% da demanda de água para fins não potáveis, mesmo no período de estiagem.

No paisagismo, adotaram-se espécies adaptadas ao clima local que necessitam de baixa demanda de irrigação. Além do uso de 100% de água não potável, foi previsto sistema de irrigação eficiente, com tecnologia do tipo gotejamento.

 

 

Texto escrito por:

Isabella Dias Botelho, Arquiteta e Urbanista na Fox Engenharia e Consultoria, empresa membro do GBC Brasil.

33 Respostas

  1. Melanie Lepesqueur Botelho
    | Responder

    Parabéns a essa brilhante profissional Isabella Botelho.
    Continue fazendo sucesso!

  2. Fernando Martins Juras
    | Responder

    Parabéns pelo excelente trabalho. Precisamos de mais projetos com essas características e esse magnífico capricho da equipe técnica pensando em cada detalhe da edificação.
    Parabéns a todos pelo empenho.

  3. Rodrigo Xavier
    | Responder

    Bacana! Que saia do papel, que seja divulgado e sirva de exemplo para todos!

  4. Alberto F Rosa Neto
    | Responder

    Interessante mais acho um pouco irreal Ainda pra nossa realidade, Ainda mais com esses políticos que temos fica tudo mais difícil!!!

  5. Joao Elias Rosa
    | Responder

    Excelente. Espero que seja útil e bem aproveitado, principalmente para órgãos e instituições públicas. Parabéns !

  6. Hachel Divina Carneiro
    | Responder

    Este excelente projeto , nos mostra que existem profissionais e empresas preocupadas com o futuro, cuidando do nosso meio ambiente , preservando a natureza , diminuindo o desperdício, ou seja , contribuindo para manutenção da biodiversidade do planeta Terra.

  7. Vânia Lúcia Dias Botelho
    | Responder

    Isabella Dias Botelho, parabéns pela matéria e projeto! Espero que no futuro estas ações tornam-se leis em nosso país.

  8. Menezes
    | Responder

    Muito bom, parabéns

  9. Marco Lepesqueur
    | Responder

    Excelente proposta, ideia e texto! Caso seja possível uma certificação LEED em uma reforma residencial, gostaria de conhecer.

  10. Maria Christina Hygino Porto Ribeiro
    | Responder

    Isabella, parabéns pelo projeto. Que haja mais realizações de tão elevado nível, oferecendo resultados não apenas belos sob o ponto de vista arquitetônico, mas em consonância com a sustentabilidade e respeito ao meio ambiente.
    Mais possível acreditar no futuro do Brasil

  11. Mais uma iniciativa louvável do executivo federal. Parabéns!

  12. Marilia lepesqueur
    | Responder

    Sucesso Isabella!!!

  13. Liliana lepesqueur
    | Responder

    Muito bom,parabéns.

  14. Fabiano
    | Responder

    Parabéns Isabella. Excelente projeto, que sirva de exemplo para outros.

  15. Wilma Lúcia Pereira
    | Responder

    Excelente! Gostei muito da matéria e projeto. É preciso que não fique só no papel. Parabéns Isabella e a toda Equipe.

  16. Nathan Maciel
    | Responder

    Parabens! Um belo trabalho!

  17. Vera Lúcia Dias de Oliveira
    | Responder

    Isabella, parabéns pela qualidade e desenvolvimento desse projeto arquitetônico, integrado e sustentável dessa Delegacia, sem causar impácto ambiental. Com melhor aproveitamento da luz natural e as condições do clima de Santarém-PA e da vegetação ali existente, sem esquecer de valorizar a cultura e expressão da região. Com soluções para redução do consumo energético e de água potável. Enfim adequaram o elemento arquitetônico+conforto ambiental+paisagismo+infra-estrura. Sucesso.

  18. Elair
    | Responder

    Parabéns Isabella! Vamos acreditar que este seu trabalho seja executado. Está muito bom❣❣❣

  19. Luísa Puntel
    | Responder

    Excelente iniciativa!!! Que se torne exemplo para muitos outros edifícios públicos ou privados.
    Parabéns à equipe!!

  20. Laura Emmerich
    | Responder

    Parabéns Isabella, você está contribuindo para que nosso planeta se torne um lugar mais habitável.

    Divulgar seu trabalho é dever daqueles desejam viver em um mundo melhor!

    Sucesso

  21. Geraldo Silveira Rangel
    | Responder

    Parabéns Isabella, é de pessoas como vc que efetivamente pensam em um mundo melhor, mais uma vez, Parabéns.

  22. Isabel Neiva
    | Responder

    Parabéns pelo excelente trabalho visando preservar nossa sudtentabilidade e a futura qualidade de vida da humanidade.

  23. Valdyr Pereira
    | Responder

    Isabella parabéns, pelo excelente trabalho. Sucesso!!!

  24. Cairo luz
    | Responder

    Que realmente saia do papel!!Maravilha!!!
    Parabéns!

  25. Elis
    | Responder

    Parabéns pelo trabalho Isabella!

  26. Fernando Dias Pereira
    | Responder

    Quando escutamos as previsões sobre o futuro, acabamos nos assustando com o porvir, mas não deveríamos se soubermos conciliar o progresso econômico com práticas ambientais sustentáveis ; esse projeto é um exemplo de que o futuro é um desafio que não devemos temer se soubermos utilizar os recusaria naturais com inteligência. O aproveitamento inteligente da água , vento e luz natural é o desafio do futuro.
    Faço isso na empresa em que sou sócio – ecosolidos – quando utilizo entulho ao invés das jazidas naturais de areia e brita como agregado de blocos e demais materiais de construção.
    Parabéns pelo projeto !
    Muito apropriada o reconhecimento da memória dos índios tapajós; nossa cultura “ocidental” nos proporcionou magníficos desenvolvimentos tecnológicos,mas de que vale o progresso senão para o bem comum ? Não há progresso econômico que justifique a degradação de nossa terra uma vez que não existe bem mais precioso do que ela. Os índios podem não ter nossa tecnologia , mas quando abrem mão de nossa “riquesa” pela natureza, estão mais avançados do que nós em sabedoria.

  27. Val Carvalho
    | Responder

    Ótimo! Projeto excelente. Parabéns Isabella.

  28. Eliana Almeida
    | Responder

    Parabéns Isabella! O planeta precisa de caminhos que respeitam a vida. Precioso trabalho.

  29. Adriana Paranhos Assis
    | Responder

    Parabéns! São projetos como esse que renovam a nossa esperança que dias melhores virão !

  30. Alcione Elisa Ribeiro Garcia
    | Responder

    Parabéns Isabela! Trabalho excelente!

  31. giovanna
    | Responder

    Bacana!

  32. Maria Julia Netto
    | Responder

    Parabéns Isabela! Projeto admirável, uma vez que apresenta proposta de qualidade, sustentabilidade e respeito ao meio ambiente!

  33. A.Bagorro-Schulzen
    | Responder

    Super ideia boa continuação

Deixe uma resposta