Desafios e oportunidades para condomínios horizontais e verticais: implementação do Referencial Casa

postado em: Matérias | 0

Muito são os cenários e desafios da Construção Sustentável para 2017, começamos pelo forte crescimento deste modelo de construção para outros seguimentos de mercado, como o das lojas de varejo, indústrias, galpões e o residencial. Até 2015 a Construção Sustentável sempre foi muito forte no mercado de Edifícios comerciais e corporativos, onde o movimento se iniciou e rapidamente se consolidou, porem em 2016 com o crescimento das crises energéticas e hídricas pelo país, a construção sustentável também ganhou força nestes outros seguimentos, demonstrando que antes de tudo a Construção Sustentável é eficiente e traz vários ganhos operacionais a estas edificações.

Outro importante diferencial é que as políticas Públicas passaram a buscar incentivos para a Construção Sustentável como os benefícios fiscais e financeiros que estão a cada dia mais sendo praticados por diversas cidades brasileiras com recentemente divulgado em São Paulo com o Decreto nº 57.565 de 27/12/2016 pela Prefeitura de São Paulo, que regulamenta os procedimentos de fiscalização da quota ambiental e o incentivo de certificação da nova lei de zoneamento da cidade (Lei nº 16.402/2016) para Empreendimentos Residenciais, o recém lançado Fator Verde de Fortaleza, que busca impulsionar a Construção Sustentável ou ainda a Elaboração do IPTU VERDE da Prefeitura do Rio de Janeiro que definirá até Abril/17 os critérios e as reduções fiscais para cada uma das estratégias de sustentabilidade incorporadas nas edificações do município, assim como já existe em varias outras cidades, como Recife-PE, Guarulhos-SP, Lageado-RS, Paragominas-PA entre outras, portanto ter uma Residência ou edifício residencial certificado pelo Referencial Casa do GBC Brasil, pode também trazer benefícios fiscais, além da redução dos custos operacionais.

Leia também:

Em época de crise hídrica como a que vivemos hoje em várias Cidades Brasileiras como São Paulo e Rio de Janeiro a economia de cerca de 30% a 50% de água é um grande diferencial e diretamente relacionado a isto temos também a economia de energia em cerca de 30%, que também passará por reajustes em breve.

Como podemos observar o mercado da construção está passando por mudanças no Brasil e a sustentabilidade continuará sendo, nos próximos anos, o principal diferencial do mercado, que é cada vez mais exigente e que busca empreendimentos amigos da natureza. Venha aprender no curso “Referencial GBC Brasil Casa”  quais são as estratégias e os conceitos a serem aplicados a estes projetos residenciais, tragam seus projetos e vamos colocá-los a prova ou entender como adaptá-lo a este conceito, com a elaboração do Estudo de Viabilidade Técnica do seu projeto.

Saiba mais sobre o Curso: clique aqui.

 

Texto escrito pelo Eng. Marcos Casado – Diretor Técnico e Comercial da Sustentech Desenvolvimento Sustentável, empresa Membro do GBC Brasil e professor do Curso “Referencial GBC Brasil Casa”, do GBC Brasil.

Deixe uma resposta